sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

D-V-A-J-A-N

Há quem abomine, mas "Dvajan" é meu querido há muuuuitos anos.
Compartilhei esse apreço musical (e outros como Roupa Nova) com o Khan e com o Ju por muitos papos e inclusive na viagem a Porto Alegre, que teve a trilha sonora cheia de Djavan - e se eu não falar em "Cigano" e "Linha do Equador", a viagem até deixa de ter acontecido! 


Pois bem, para o deleite de quem curte e mais ainda para o meu, o Ju vai fazer um show no próximo domingo para homenagear o cara. Pensa no quanto eu to gostando disso! Então, aqui vai o convite.


"Djavanear o que há de bom" vai homenagear os 35 anos de carreira do cantor e compositor. Será em Araçatuba-SP, no Teatro Paulo Alcides Jorge (anexo à Biblioteca Rubens do Amaral - Vila Estádio), dia 27 de fevereiro (próximo domingo), às 18h. Quem promove é a Oficina Cultural Sílvio Russo, com apoio da Secretaria Municipal de Cultura.
E para quem não conhece o Junior, dê uma olhadinha no site dele. Todo o trabalho que ele faz é primoroso de verdade.

* * * * * 

E para não deixar as lembranças só aqui comigo, já que elas vão sair de qualquer jeito na hora do show, acho que devo contar que em 2005 a Rafa (Garcia), o Gui (Tavares), o Khan(peta) e eu fomos ao show dele no estacionamento da Toledo.

A princípio, era pra boicotarmos o show, porque a faculdade estava virando promotora de eventos e além da mensalidade já de bom tamanho, os alunos não tinha um bom desconto nem nada para estes shows. Combinado o "motim", deveríamos nos reunir atrás do palco e passar a noite xingando e fazendo sei lá mais o que desse na cabeça na hora, menos ver o show. 
Mas só aparecemos nós quatro e, como não ia dar muito barulho, resolvemos ficar na porta com cara de "nem queríamos mesmo entrar". Mas isso até ganharmos três convites! Três! E, assim que o show começou, a gente ainda lá fora, oferecemos R$ 10,00 para o cambista e pegamos o quarto convite. Show do Djavan por R$ 2,50 cada, isso não ia se repetir na nossa vida, e então achamos por bem entrar e curtir e gritar e ficar roucos igual qualquer um que tinha pago caro pra entrar.

De quebra, o Khan e a Rafa sumiram e apareceram do lado de lá da grade pro camarote, com uns três copos de bebidas em cada mão. Ao fim do show, ainda fomos buscar um autógrafo, mas eu só achei minha escova de dentes e dei pra ele pensando que fosse caneta, e uma nota de R$ 50,00 que na hora eu achava que se ele assinasse eu não gastaria mais.
Depois, duas pessoas (dá pra imaginar certinho quem são) pediram pra ser deixadas na Calypso e os outros dois tiveram que ficar esperando até eles sairem dizendo que ainda conseguiram confundir os seguranças e usar a pulseirinha do show pra ficar no camarote da boate. Um dos elementos foi levado (a) pra casa pelos outros três, e, antes de ser colocado (a) na cama, pediu um minutinho para vomitar elegamente no jardim e dizer "tá tudo bem, gente". 
Que saudade!

Nenhum comentário: