terça-feira, 3 de março de 2015

pode o tempo?

Pode sim o tempo fazer de conta que não estamos aqui? Pode sim.
Pode sim o canto da boca esquecer-se de que precisa descansar? Pode sim.
Pode sim meus cabelos mudarem a cor e ainda assim manterem-se macios? Pode sim.
Pode sim meus pés se esquecerem de pisar o chão sem meias? Pode sim.
Pode sim a música tornar-se ruído no meio da tarde? Pode sim.
Pode sim um texto ser mais agradável que o vazio? Pode sim.
Pode sim um sentimento não me deixar desistir? Pode sim.
É tanto pode. É tanto tempo. Sempre pode, mas nem sempre terás tempo.