segunda-feira, 29 de junho de 2015

Para um Zeca, que pode ou não ser Camargo





Antes de mais nada: nunca fui muito com a cara do Zeca Camargo, e como não vejo TV, a euforia do facebook nessa segunda-feira me levou a procurar via Google qual teria sido tamanho absurdo dito pelo jornalista.
Juro que pensei que o cara tinha dito que o cantor Cristiano Araújo merecia ter morrido, ou algo do tipo.
Que nada! Era só uma crônica. Uma crônica certeira. Um olhar interessante sobre uma sociedade histérica sem causa.
Depois fui reparar que a análise foi encomendada pelo Jornal das Dez, da Globo News, e lembrei de quando, ainda na faculdade, fazíamos paralelos entre o conteúdo popularesco que ia para o Jornal Nacional e o outro, mais apurado e crítico, que podia chegar ao Jornal da Globo, de público mais intelectualizado, conforme classificação da própria emissora.
É....mas agora o brasileiro está indo dormir mais tarde e viu a crônica.
Azar do Zeca.
Seu texto não foi aceito, não foi compreendido. E como tudo que não é espelho, foi tratado na chibata. Porque lindo é ser livre, louco, diferente, mas escrever o que pensa não tá permitido nem tá na moda.
Zeca é o condenado da semana, até que o próximo seja levantado.
Que engodo!