terça-feira, 30 de agosto de 2016

sempre é bom voltar aqui

Perdão pelo silêncio.
Sumi em meio às idas da vida, mas nunca deixei de estar aqui.

Retornar e encontrar um texto tão singelo, como de costume quando você resolve dedilhar é sempre reconfortante. Sinal de que de alguma maneira nos mantemos ligados, textualmente ou além disso. Ler que depois de tanto rasgar o calendário sente se mais leve me alivia de certa forma. O teu incômodo é meu também e, por consequência, sua leveza é minha paz. 

A vida nos ensina da maneira que ela sabe e pode. Nem mais nem menos tempo. O tempo que o tempo pede. As lições, não exigem aprendizado pleno. Nem mais, nem menos aprendido. O tanto, que deu pra ser. Revisitar não é pecado, nunca foi. Amar, apaixonar, saudar, chorar e sorrir. Todas essas palavras, estão no mesmo capítulo, na mesma régua, no mesmo quadro, foram escritos antes que o giz terminasse. E antes que se apagassem esperando a próxima tarefa, seja do corpo, seja da mente, seja da alma. Se perdeu alguma delas, copie a próxima.

Siga em frente, minha querida. Mesmo nos dias em que considerou merecer menos, eu fiquei aqui, com a teimosa convicção de que mereces tanto ou mais. Sei lá, o tanto que deu pra ser, o suficiente para abrir um sorriso quando quiser.