quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Janeiro, janelas abertas, tem gente entrando. Mas neste blog ainda mora alguém? (Parte III - final)

- nossa, adormeci e nem me lembro o que aconteceu direito...
- hum, não se lembra...sei...
- minha cabeça dói muito.
- também, se perdeu na embriaguez da música...
- música? que música? é mesmo, teve um baile ali naquele post...caramba, só me lembro que fomos perguntar se precisava de convites e fomos entrando.
- música, muita música, gente, sorrisos, frases dançando freneticamente, as letras trombando, que bagunça vocálica!
- e a dona do blog, você viu?
- vi, mas apareceu super rápido, com uma agenda nas mãos, anotou os nomes, fez fotos e se retirou, disse que iria ficar olhando pela janela, que tamanha felicidade assim era boa de se ver pela janela.
- é doida mesmo essa moça hein!
- a tal de AGT se sentou num canto e riu bastante da bagunça...eita pessoa estranha aquela viu.
- amigo, não vi nada, minas pernas também estão adormecidas.
- pé-de-valsa, safado, vai dizer que não se lembra do rosto da mocinha que puxou pra lá e pra cá até agora a pouco?!
- mocinha? rosto? ficou o perfume, posso sentir...
- aaai minhas costas, vamos vamos, já bagunçamos demais por aqui, não quero arrumar as cadeiras e nem estar por perto quando voltarem...e muito menos pretendo ficar aqui por quatro ou oito anos...
- tem razão, divertido, enigmático, nos sense...vamos sair.
- complicado vai ser encontrar a porta da frente.
- meu filho, aqui não tem frente, nem verso, aqui é território do sem saber o quê!
- então vamos, acho que já saimos, na verdade.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Janeiro, janelas abertas, tem gente entrando. Mas neste blog ainda mora alguém? (Parte II)

- se a gente contar, ninguém acredita, o vento que tem som, sei lá, será que é isso mesmo?
- é isso mesmo, uma mistura de sons, cada um vem de um dos ventiladores...
- era para ser assustador, mas não, sinto uma coisa boa, algo que não consigo definir.
- também to percebendo algo que não se traduz...nossa, o que eu to falando?
- de quem é mesmo esse blog?
- de uma bailarina e sua alma gêmea textual.
- alma gêmea...textuaaaal??? como assim, povo maluco!
- pelo menos é o que tá escrito na entrada, 'poesia com bobagem', como sócios a bailarina e essa tal alma gêmea. nunca vi isso.
- eh! tem razão, aqui nesse lugar tem muita coisa que nunca vi em texto nenhum.
- vamos continuar fuçando, ouvi dizer que a bailarina só volta em quatro ou oito anos, parece que pegou uma estrada delicada de caminhar, mas tá se divertindo.
- bailarina que pegou uma estrada, desisto de entender, vou continuar sentindo, me parece que o ritmo aqui neste post longo tem um ar de saudade.
- vamos nos sentar, saudade boa essa...

(continua)

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Janeiro, janelas abertas, tem gente entrando. Mas neste blog ainda mora alguém? (Parte I)

- Ei, tem alguém aí?!
- Hum, este blog corre o risco de ficar em silêncio por um bom tempo. Ou pelo menos parece que estamos sós por aqui.
- Sei lá, parece mesmo tudo abandonado, tem poeiras pelos cantos, teias de aranha se formam a cada post.
- Olha! As imagens ganham tons amarelecidos...é, faz tempo que ninguém passa por aqui.
- Dá uma olhada nas fotos dos antigos donos!! devem estar grisalhos, pele enrugada, será não voltam mais?
- Vamos deixar as mochilas pelos cantos e ver o que encontramos em cada linha.
- Boa idéia, tá tão silencioso que dá pra ouvir as letras rangendo, nossa os antigos donos deveriam ser pessoas um pouco confusas, as letras não se conectam, as palavras parecem formar códigos.
- Tem razão, para quem será que escreviam?
- Não faço a mínima idéia...dá uma olhada nisso, tem muito sentimento pingando nesses títulos, vamos ligar os ventiladores pra ver se refrescamos o ambiente.
- Falando nisso, esse povo que morava aqui deveria sentir muito calor, tem 2 ventiladores em cada post.
- Ouvi dizer que gostavam de vento, na verdade e, quando fechavam o blog, nunca deixavam os posts sem ventilação, parece que era tradição mesmo, ou algum tipo de paliativo contra males diversos.
- O vento! Deixa ele purificar o ambiente!
- escuta, tá ouvindo?
- o quê?
- uma música, presta atenção, é um ritmo diferente.
- Não to ouvindo, desliga o ventilador aqui do canto pra ver se ouço.
- Parou, calma, a música vem dos ventiladores, liga de novo!
- Nossa! Incrível! Os ventiladores balançam nossas almas, que sensação!

(continua)