segunda-feira, 18 de abril de 2011

existe vontade de fazer ciência?




hoje acordei com uma vontade de fazer ciência. mesmo que seja ciência das letras. ciência do tempo. ciência das frases. então primeiro eu li um pouco mais algumas páginas de um ótimo livro.


(nota)

um ótimo livro, daqueles que torço para não terminar


o que é fazer ciência, afinal? lidar com áreas do conhecimento para quem sabe produzir algum conceito ou encontrar uma nova resolução para questões seculares? ou quem sabe a inserção em linhas de raciocínio atuais possam de fato caracterizar um cientista ou o próporio ato de fazer ciência?


(nota)

questionamentos assim já são ciência?


em outra conversa, ainda na parte da manhã, com duas pessoas que acordaram mais cedo que eu e por isso pareciam com cérebro mais afiado no meio do período, encontrarmos áreas do saber e do fazer nas quais parece não faltar, por motivos aceitáveis, recursos, humanos, tecnológicos e financeiros: medicina, agronegócio, neurociência, aeronáutica, entre outras. Sim, são esferas que decidem ou, se preferir, garantem a manutenção humana no mundão.


eu não saberia continuar essa prosa sem pensar um pouco. ou sem pesquisar um pouco. prefiro então acabar com uma pergunta. se fazer ciência é tão importante, ou se os atos e decisões da ciência são pontos de partida da nossa continuidade, porque raramente os feitos de laboratório ganham a primeira página? faça um teste e procure nas capas, nas manchetes, nos portais e telejornais.

Nenhum comentário: